Sistemas RUB: experiência e resultados de eficácia

A aposta na formação cívica das populações, através de programas e ações de educação ambiental, para além de contribuir para a construção de gerações ambientalmente mais responsáveis e interventivas, tem igualmente vindo a acompanhar as tendências, necessidades e metas, nacionais e comunitárias, estabelecidas para os municípios e regiões.

A experiência da SUMA nesta área constitui-se uma vantajosa ferramenta no eficaz contacto com as populações, convertendo-se em resultados mais imediatos na implementação e na sedimentação de sistemas.

Neste plano, a SUMA tem integrado parcerias com municípios e entidades multimunicipais para introdução de recolhas nas modalidades porta-a-porta e de proximidade, nas vertentes multimaterial e de resíduos biodegradáveis (fração alimentar e fração de verdes).

Atualmente, a organização encontra-se a desenvolver projetos neste âmbito em duas dezenas de distintos municípios portugueses, para um universo estimado de cerca de 65 mil fogos residenciais e não residenciais (canal Horeca e outros), com cerca de 90 mil alvos contactados, a que acresce a anterior experiência em 20 municípios e cerca de 50 mil fogos residenciais.

Para fazer face aos imperativos do distanciamento social, a SUMA respondeu adaptativamente, através do rigoroso cumprimento de um protocolo de segurança sanitária e da reinvenção de metodologias de contacto direto com as populações, sempre que possível, acionando o contacto telefone-a-telefone (TaT).

De salientar que se encontra aberto o terceiro aviso para a disponibilização de Fundos de Coesão, com vista à ampliação e/ou adaptação de infraestruturas de recolha seletiva de biorresíduos, e data de fecho a 29 de janeiro de 2021 (2.ª fase).