Educação ambiental testa nova metodologia

Numa época em que coexistem os imperativos do distanciamento social e da continuidade das operações SUMA, o departamento de educação e sensibilização ambiental respondeu adaptativamente, reinventando as metodologias de contacto direto com as populações.

Procurando a continuidade das operações de sensibilização ambiental contratualizadas e o cumprimento das diretrizes da DGS para mitigar a propagação do COVID-19, a SUMA lançou a metodologia de contacto telefone-a-telefone (TAT) – em substituição do tradicional contacto porta-a-porta (PAP). Implementada no município de São João da Madeira, no âmbito da campanha “Dou Valor”, de sensibilização para a recolha de resíduos multimaterial porta-a-porta, a metodologia TAT contempla dois momentos: primeiro, o contacto telefónico empático, de cariz informativo e motivacional; seguido da entrega de contentorização e suportes informativos, no rigoroso cumprimento de um protocolo de segurança sanitária, desenvolvido em estreita ligação com as autoridades de saúde.

A satisfação manifestada pelas primeiras 18 famílias abrangidas e a notável rentabilização de recursos corporativos apontam no sentido da replicação desta metodologia a outros contextos.