SUMA incentiva munícipes a zelarem pela sua qualidade de vida

Campanha recorre à cantilena “Bem-me-quer, Malmequer, muito, pouco ou nada” para introduzir as rotinas corretas de gestão dos resíduos nas populações.

A brincadeira de infância de desfolhar uma margarida ao ritmo do “Bem-me-quer, Malmequer” é o conceito que está na base de mais uma campanha de sensibilização para o correto acondicionamento e deposição de resíduos promovida pela SUMA.

Partindo da premissa de que as práticas de urbanidade em espaço público determinam o respeito que cada um tem por si, pelos outros e pelos espaços públicos que utiliza, esta ação realça a relação entre o direito de usufruir destes lugares e o dever de os manter por via de uma intervenção responsável, cumprindo e fazendo cumprir as regras de higiene.

Com uma vertente muito informativa de divulgação dos dias, horários e locais de deposição e de recolha dos resíduos sólidos urbanos (RSU), esta iniciativa inicia o ano de 2016 com intervenção nos jardins-de-infância de Vila Nova de Gaia, através de uma dinâmica de exploração de um puzzle de grandes dimensões e da distribuição a cada participante de uma versão em tamanho “de bolso”, para levar para casa. A campanha conhecerá ainda uma segunda fase, em junho de 2016, nas comemorações da semana do ambiente, com a aplicação de autocolantes de chão, em zonas emblemáticas da cidade.

No anterior ciclo de trabalhos, a ação contemplou uma extensiva vertente de sensibilização passiva ao público em geral, em Santa Maria da Feira, através da expedição de 59 mil folhetos via InfoMail, colocação de outdoors e mupis em espaços publicitários do Município, publicidade em autocarros durante 6 meses, divulgação na imprensa (jornal e rádio), e aposição de 63 placas informativas junto aos ecopontos do município.

Nas instalações da SUMA e da RIMA (sua participada), brevemente, serão também aplicados autocolantes de chão desta campanha, no seguimento do compromisso da organização com a formação e sensibilização dos seus trabalhadores e de pessoas frequentadoras dos seus centros, para a promoção da cidadania e do papel de todos enquanto produtores de resíduos.