SUMA corresponsabiliza munícipes pela limpeza urbana

Assumindo a premissa que os espaços públicos a todos pertencem e que exigem de cada um o mesmo empenho e cuidado aplicado aos espaços privados, a SUMA reforça a sensibilização para as práticas de urbanidade nos municípios seus clientes.

“Até quando está disposto a tolerar que os outros sujem o que também é seu?” é a pergunta que se impõe dirigir aos utilizadores com maior sentido de cidadania para provocar o seu dever de implicação na fiscalização e reprovação social do comportamento de quem não cumpre as regras básicas em espaço público.

Esta nova campanha clarifica soluções simples para questões quotidianas de limpeza urbana relacionadas com a remoção dos dejetos caninos, com a utilização de papeleiras, com o encaminhamento de objetos de grandes dimensões, com o cumprimento de horários de deposição de resíduos, por forma a evitar a acumulação e os maus cheiros, e com a valorização de matérias-primas, entre outros.

A campanha associa ainda a má conduta cívica ou descuido com a percentagem de orçamento camarário dirigido à manutenção da limpeza urbana, que poderia ser poupado ou usado para fins mais nobres, se o nível de civismo fosse superior ao verificado em Portugal.

O contacto pró-ativo com jovens do 2.º ciclo do ensino básico, assim como a abordagem de manifestação pacífica junto do público em geral são as estratégias utilizadas para potenciar a eficácia da campanha que, como complemento às intervenções, terá a distribuição de folhetos, cartazes, lanternas de bolso, sacos reutilizáveis, t-shirts e ecopontos domésticos, destinados a propagar a mensagem para além do contacto.

A ação ocorreu entre setembro e novembro em Vila Nova de Gaia, Ílhavo e Celorico de Basto, estando para 2014 agendadas intervenções no centro do país, nomeadamente na Batalha, Alcobaça e Porto de Mós, municípios que, em média, dedicam mais de 5% do orçamento municipal à recolha de lixo e à limpeza urbana.